icone
Serviços Online
» Conheça nossa edição digital
25/09/2017
Concurso irá escolher 12 desenhos para ilustrar calendário 2018
25/09/2017
Estação reinaugura com novidades
25/09/2017
Estudantes são premiados na 5ª Mostra de Ciências
25/09/2017
Secretaria de Esportes entrega alimentos para entidades
icone
Leitor Interativo
» Leia o Artigo da Edição
» Luiz Carlos S. Fortes

O valor da palavra

Nestes momentos de eleições vivenciados em nosso país, nesta luta desenfreada e até mesmo desesperada pela conquista de votos, em que muitos candidatos não medem esforços para fazer suas promessas, acho que a mensagem deixada pelo escritor Paulo Coelho vem em boa hora.   

Jesus dizia: “que o seu sim seja sim, e que o seu não seja não”. Se você assumiu uma responsabilidade, vá até o fim. Mantenha sua palavra, porque ela é preciosa.

Cada vez que sua palavra é honrada por seus gestos, ela se torna mais forte. Quando você dignifica sua relação com os outros, dignifica também sua relação com você.

Os que prometem — e não cumprem — vivem criando problemas para si mesmos. Perdem o respeito próprio, têm vergonha de seus atos. A vida destas pessoas consiste em fugir; elas gastam muito mais energia desonrando a palavra, que os honestos gastam para manter seus compromissos.

Se você assumiu uma responsabilidade boba, que resultará em prejuízo de entusiasmo, tempo e dinheiro, não torne a repetir esta atitude.

Mas, desta vez, honre sua palavra.

 Eleições

E em função das eleições municipais, os ânimos estão mais acirrados do que nunca nas redes sociais.

Existem os que adotam “meu Face, minhas regras” como filosofia de vida e, com isso, botam para quebrar. Não que seja errado se expressar. O direito à liberdade de expressão é, aliás, uma garantia constitucional. Está na lei. Mas será que vale a pena jogar tudo para o alto e entrar em brigas enormes só por discordar do outro e defender o que pensa? Alguns acham que sim. Outros defendem que “as eleições vão, mas os amigos ficam”. E viva a democracia.

 Acabou

As Olimpíadas chegaram ao fim, e pelo que parece o resultado foi melhor do que muitos esperavam. Apesar das frustrações quanto ao pequeno número de medalhas conquistadas pelos brasileiros e alguns problemas de última hora, o Brasil hospedou os jogos de 2016 de maneira muito eficiente. Zika vírus e violência local não interferiram no brilho. Agora deveremos voltar a nossa dura realidade: eleições municipais, processo de impeachment da presidente Dilma, cassação de Eduardo Cunha, e por aí vai...

 

 

 

 

COMPARTILHE ESTA PÁGINA
Os comentários no site estão em fase experimental - não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas. Denuncie comentários ofensivos ou usuários fakes pelo e-mail site@oaltouruguai.com.br.
© 2012-2013 - O ALTO URUGUAI - Rua Getúlio Vargas, 201 - Ipiranga - Frederico Westphalen/RS - Fone: (55) 3744-3040. Site desenvolvido por LIFESITE.