icone
Serviços Online
» Conheça nossa edição digital
23/10/2017
Orlandinho confirmado no 2º Ipiranga Open de Tênis
23/10/2017
Conheça quais são as principais vacinas disponíveis
23/10/2017
Integrantes do Cpers manifestam em frente a 20ª CRE
23/10/2017
Feira de Saúde promove oficinas e atendimento médico
icone
Leitor Interativo
» Leia o Artigo da Edição
» Lana

A pluralidade da criatividade

A competitividade nunca esteve tão em voga como nos tempos atuais e, muitas vezes, é fator decisivo para fechar um negócio, conquistar um novo nicho de mercado, vencer eleições ou ganhar um amor. Mas, o que se esconde por trás da competitividade? Que atributos fazem parte do ser competitivo? Será que todos nós fomos abençoados com ela? Einstein dizia que a "Criatividade é inteligência, divertindo-se", mas há quem insista que para ter criatividade há de se ter inspiração, os famosos “insights” (compreensão súbita de alguma coisa ou determinada situação) tão aclamado pelos publicitários. E quando falamos em inspiração, impossível não citar os arquétipos gregos por conta das deusas da arte e da inspiração – as “musas” – que até hoje inspiram artistas das mais variadas artes, como Vinícius de Moraes e Tom Jobim, compositores de “Garota de Ipanema”, cuja musa foi Helô Pinheiro. A curiosidade também é imprescindível à criatividade e é o que move mentes fervilhantes e ávidas pelo saber como Einstein e Picasso, o primeiro um físico alemão e o outro, um pintor espanhol. Ambos viveram na passagem do século XIX para o XX e não se satisfizeram com as explicações sobre a ciência e a arte, que circulavam na época, de modo que criaram importantes conceitos como a “Teoria da Relatividade” e o “Cubismo”. Contudo, a tríade inteligência, inspiração e curiosidade não respondem sozinhas pela criatividade, uma vez que o potencial criativo se manifesta de maneira diferente entre os indivíduos, além da personalidade própria de cada um. E mesmo que exista uma genialidade ou um perfil propício à personalidade criativa, como independência de pensamentos, persistência, curiosidade, ousadia e um tanto de inconformismo, existe o livre-arbítrio em querer seguir a massa e repetir conceitos ou em mudar o status quo. Costumamos identificar a criatividade em grandes feitos através de um comercial que foi premiado, na criação de uma teoria ou na descoberta de algum invento, porém, tem tanta criatividade ocorrendo no dia a dia que passa despercebida, de gente que nunca será gênio, mas que dribla as vicissitudes fazendo de um limão uma limonada. São pessoas que customizam roupas por economia ou por estilo. Aqueles que conseguem transformar um ovo frito em um prato gourmet. Gente que pratica sustentabilidade e reaproveita o que para uns é descartável, transformando lixo em luxo. Sem falar naqueles que ousam no visual ou os que mantêm apimentada uma relação a dois. Tudo isso também é criatividade. O dom da criatividade para alguns é nato, mas outros só se descobrem criativos quando envoltos em problemas, daí seguem os pressupostos de Nietzsche: “O que não provoca minha morte faz com que eu fique mais forte”. Certo que a inteligência é um importante componente na criatividade, mas que nunca falte a inspiração, pois sem ela o mundo fica cinza, morno e sem sabor.

Bons Ventos! Namastê.

COMPARTILHE ESTA PÁGINA
Os comentários no site estão em fase experimental - não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas. Denuncie comentários ofensivos ou usuários fakes pelo e-mail site@oaltouruguai.com.br.
© 2012-2013 - O ALTO URUGUAI - Rua Getúlio Vargas, 201 - Ipiranga - Frederico Westphalen/RS - Fone: (55) 3744-3040. Site desenvolvido por LIFESITE.