icone
Serviços Online
» Conheça nossa edição digital
23/09/2017
PRF flagra carreta com 17 toneladas acima de sua capacidade
22/09/2017
Irmã Maria das Graças Guedes discute gênero
22/09/2017
Duas pessoas são presas por tráfico de drogas
22/09/2017
Conta de luz mais cara em outubro
icone
Leitor Interativo
» Leia o Artigo da Edição
» Set

“Minha sensação é de dever cumprido”

(Fotos: Divulgação)
(Fotos: Divulgação)

Com apenas 34 anos, ele já coordenou diversas operações e com sua equipe efetuou centenas de prisões, combatendo a criminalidade e garantindo a segurança para a comunidade, em sete anos de uma profissão que hoje é considerada a “dos sonhos” para muitos jovens. Diogo Ferreira é seberiense, filho do policial rodoviário federal José Ferreira e da dona de casa Terezinha Ferreira, e o seu gosto pela área policial o fez almejar o cargo que ocupa hoje, o de delegado de Polícia. “Sempre gostei da área policial, investigação criminal. Em razão disso, graduei-me em Direito na URI/FW, focando nesse meu objetivo, e após a colação de grau já fiz alguns cursinhos preparatórios para concurso público, pensando na carreira de delegado de Polícia. Antes de assumir como delegado do RS, no ano de 2010, já havia sido aprovado também para essa função nos Estados do Paraná e Santa Catarina”, relata.

Especialista em Direito Público, para conseguir atingir o seu objetivo de zelar pela segurança pública, Diogo precisou de muito foco e determinação, pois a preparação exigia isso, além de abdicar de vários momentos, inclusive das horas com a família e amigos. “Colei grau em janeiro de 2006, e neste mesmo ano já comecei a frequentar a Escola do Ministério Público, em Porto Alegre, onde estudava de 10 a 12 horas diárias, sendo um turno de aula e nos outros dois turnos de muito estudo e leitura. O concurso é longo, por isso é necessário muito foco e determinação. Mas com certeza todo o tempo dedicado aos estudos compensaram os momentos abdicados, longe da família e amigos, pois vieram as aprovações e posteriormente nomeação e posse”, destaca o seberiense, contando que sempre que pode está em Seberi para se encontrar com os pais e as duas irmãs, estes que foram essenciais para ele chegar ao seu objetivo. “A família é tudo, foram essenciais desde a educação e incentivo a nunca desistir dos meus objetivos. Todo o apoio recebido deles contribuiu para que eu conseguisse passar no concurso. Além disso, cresci vendo meu pai ser policial e esse fato ajudou bastante para a escolha da minha profissão”, diz o delegado.

 

Novos desafios e planos

Residindo atualmente em Passo Fundo, Diogo ficou por três anos e oito meses na titularidade da 1ª Delegacia de Polícia Civil, deixando o comando para assumir, no mês de agosto deste ano, a Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec), posto que era ocupado há 16 anos pelo delegado Adroaldo Schenkel, que agora vai se dedicar à coordenação da 6ª Delegacia Regional. A Defrec é uma das delegacias mais relevantes do Estado em razão da área em que atua e dos crimes que são investigados, sendo esse um grande desafio e uma missão importante para o seberiense. “Esse era meu objetivo profissional, que sempre tive desde que tomei posse como delegado de Polícia em Passo Fundo, mas não esperava que fosse alcançar isso tão rápido. Agora espero continuar realizando o primoroso trabalho que já vinha sendo feito na Defrec, garantindo maior segurança à comunidade de Passo Fundo e da região”, relata Diogo, que diz ter a sensação de dever cumprido quando vê que o seu trabalho e de sua equipe, para combater a criminalidade, surte efeitos e deixa a população segura. “Sempre nos esforçamos para ter bons resultados ao que nos propomos. Todos trabalham com foco no objetivo comum”.

Além de querer continuar trabalhando bastante e crescendo dentro da carreira, Diogo também tem planos para a vida pessoal, e nestes inclui-se a troca de alianças no altar com a noiva, a psicóloga Paula Queiroz, de 28 anos. “A Paula é muito importante para mim, tanto na vida pessoal como profissional. Ela é minha companheira de todas as horas, sempre nos apoiamos em nossos objetivos e compartilhamos nossas alegrias e conquistas, por isso pretendemos nos casar, viajar e continuar conhecendo lugares”, planeja.

E para aqueles que gostariam de ter a oportunidade de ocupar um cargo como o do delegado Diogo, ele deixa o recado. “A base de tudo é muito estudo e dedicação, pois o resultado sempre irá vir, pode até demorar um pouco mais do que o tempo planejado, mas o resultado sempre vem, só não alcança o objetivo, quem desiste no caminho”, finaliza.

Suseli Cristo

COMPARTILHE ESTA PÁGINA
Os comentários no site estão em fase experimental - não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas. Denuncie comentários ofensivos ou usuários fakes pelo e-mail site@oaltouruguai.com.br.
© 2012-2013 - O ALTO URUGUAI - Rua Getúlio Vargas, 201 - Ipiranga - Frederico Westphalen/RS - Fone: (55) 3744-3040. Site desenvolvido por LIFESITE.