icone
Serviços Online
» Conheça nossa edição digital
20/11/2017
Aposentados podem sacar cotas do PIS
17/11/2017
Assinantes terão desconto exclusivo para inauguração
17/11/2017
Displays de divulgação foram distribuídos no comércio
17/11/2017
Cine 8D é atração inédita na região
icone
Leitor Interativo
» Leia o Artigo da Edição
» Set

“Nossa cultura é muito rica”

(Foto: Taiz Gizele Richter)
(Foto: Taiz Gizele Richter)

O gosto pela cultura rio-grandense sempre fez parte da vida de Adilson Severo, mas foi a partir de 2004 que essa tradição foi abraçada pelo palmeirense, atual morador de Frederico Westphalen. O mais novo dos quatro filhos de Artur Antonio Severo (in memoriam) e Dolores Gnoatto Severo, conta que em uma edição da Expofred trabalhou todos os dias da feira pilchado, o que despertou um amor pela cultura gaúcha que foi se desenvolvendo desde então.

Com o tempo Adilson foi deixando de lado suas antigas roupas, passando a vestir bombacha diariamente. O amor por essa cultura também levou-o a se associar ao CTG Rodeio da Querência que foi adotado como sua segunda casa. “Comecei ajudando a organizar cavalgadas e a divulgar o nosso tradicionalismo”, conta Adilson.

 

Família e trabalho

A cultura gaúcha também está ligada à família e ao trabalho. Adilson reside na linha Vinte e Um de Abril, em FW, com a esposa, Ana Paula Souza Severo, pedagoga e confeiteira, e a filha de cinco anos, Rafaela de Souza Severo. Ele conta que busca ensinar à filha princípios como a disciplina, o respeito e o amor a uma cultura rica, através da qual várias gerações de uma mesma família se reúnem nos bailes do CTG e em outros eventos ligados ao tradicionalismo para preservá-la.

Não só a família está envolvida com os costumes gaúchos, mas também a vida profissional. Adilson trabalha há 16 anos na mesma empresa, a Caça e Pesca. Nos primeiros 10 anos atuou como vendedor e há seis anos passou para o cargo de gerente de compras. A loja comercializa artigos para camping e pesca e, desde 2004, trabalha também com uma linha de indumentária gaúcha.

 

Patronagem

No mês passado Adilson Severo foi eleito patrão do CTG Rodeio da Querência. Ele conta que é motivo de muito orgulho estar à frente da entidade tradicionalista e que só aceitou o cargo por ter ao seu lado uma boa equipe. “Acho que a entidade, seja ela qual for, não irá prosperar só com o patrão (presidente) e sim com toda e equipe unida com o mesmo objetivo”, enfatiza.

Severo ficará no comando do CTG até o final de 2019, já que o mandato da patronagem é de dois anos, de acordo com o estatuto da entidade. Como novo patrão do CTG, pretende mostrar à comunidade as riquezas da cultura gaúcha, por meio de um trabalho sério, transparente e em equipe. “Estou de patrão por um período e quero deixar uma parcela de contribuição para nossa entidade, acredito que com a ajuda da patronagem e dos sócios faremos um bom trabalho”, frisa.

 

Resgatando as raízes

Para o futuro, Adilson pretende dar sequência ao que vem realizando. O patrão afirma que está tentando fazer a sua parte para que a cultura gaúcha não seja esquecida. “Queremos valorizar cada vez mais a família, os amigos, resgatando as raízes do tradicionalismo e a cultura gaúcha, sem deixar de lado a fé, pois sem ajuda de Deus não somos nada”, finaliza. 

 

Taiz Gizele Richter / Estagiária de Jornalismo - UFSM

COMPARTILHE ESTA PÁGINA
Os comentários no site estão em fase experimental - não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas. Denuncie comentários ofensivos ou usuários fakes pelo e-mail site@oaltouruguai.com.br.
© 2012-2013 - O ALTO URUGUAI - Rua Getúlio Vargas, 201 - Ipiranga - Frederico Westphalen/RS - Fone: (55) 3744-3040. Site desenvolvido por LIFESITE.