Marcio Bariviera
Marcio Bariviera

Administrador.

Sugestões, elogios e dúvidas: clique aqui para enviar um e-mail.

Empate

**Os textos de colunistas aqui publicados são de sua total responsabilidade e não refletem a opinião do jornal O Alto Uruguai.

Publicado em: 14/09/2020

Não sou fã de empate em jogo de futebol. Até abro exceção para aqueles empates de 2 a 2 pra cima, algo tão raro quanto falarem bem do Neymar. Empates de 1 a 1 para baixo precisam ser analisados, mas normalmente são jogos mornos.

 

Isso. Mornos. Empate é algo morno, sem graça. É como você ir à praia com tempo nublado e um leve vento estar começando. É como apostar tanto na cara como na coroa e a moeda cair de pé.

 

Bacana foi o Brasileirão de 1988, a Copa União. Ali inventou-se antes mesmo da Fifa a vitória de três pontos, sendo que se houvesse empate teríamos disputa de pênaltis, a qual daria dois pontos para o vencedor e apenas um para o perdedor. Naquela competição o empate foi abafado. Bem feito.


A Copa do Mundo de 1998 teve o chamado gol de ouro nas fases eliminatórias. Depois do empate no tempo normal, quem fizesse o primeiro gol na prorrogação, levava. O gol de ouro acabou não vingando depois dessa Copa, mas, para você ver, a própria Fifa não curtia muito o tal de empate.

 

Já escutei – e você também deve ter ouvido – que a história apontou muitos campeões devido a um empate. Porém, o fato é que o campeão não levantou o troféu graças a esse resultado, mas sim ao jogo anterior, pois, indica a lógica, ele venceu. Ocorre que às vezes aconteceram dois empates e o tal “gol qualificado”, mas, veja você, quem efetivamente decidiu foi o gol qualificado e não o primeiro ou o segundo empate.

 

E quando você faz um happy hour com um amigo e ele resolve pagar a conta? A justificativa é que na semana passada foi você quem pagou e, cheio de graça, ele dirá: “estamos empatados”. A notícia boa é que ocorreram dois happy hours com boas risadas e descontração, mas ninguém saiu em vantagem. Nem deveria. Afinal, parceria é parceria. Tá bom, para algo o empate serve.

 

Teu outro amigo chega e diz que a empresa que recentemente ele abriu já está completando seis meses de atividades. Você pergunta como estão os números e ele orgulhosamente informa que ainda está no vermelho devido ao investimento, mas que até o fim do ano já vai conseguir empatar. Está aí, outra boa vantagem de um empate. Neste caso estaria apontando crescimento.

 

Por fim, se o teu time ganhar uma e perder outra, ele somará três pontos. E com dois empates a soma seria menor. E nem tente me convencer que o tetra veio após empates em tempo normal e prorrogação. Quem decidiu foi o balão do Baggio. Senão estaríamos até hoje empatados e cobrando pênaltis.

COMENTÁRIOS

Os comentários no site não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas.
PUBLICIDADE
13 - Zooclínica
PUBLICIDADE
13 - Dedetização Daniel