PUBLICIDADE
9 - Seen Experience

Gabrieli Doneda De Araujo

Conheça a história da erval-sequense que desde os três anos dança balé e é apaixonada pela arte

Publicado em 01/06/2020.

Por:



11 - Sicoob

Muita gente ama a dança, mas tem vergonha de se entregar aos ritmos. Só que isso nunca foi um problema para a Gabrieli Doneda De Araujo, que desde os três aninhos faz da dança a expressão da sua alma. “A dança foi uma das melhores coisas que aconteceu na minha vida. Essa arte me proporciona momentos de felicidade, pois quando danço expresso tudo o que estou sentindo, consigo ser o que eu quiser, interpretando diversos personagens e contando suas histórias através do meu corpo, dos meus movimentos e expressões”, frisa a bailarina, que hoje, com 15 anos, vê o balé como a sua verdadeira paixão.

 

Primeiros movimentos

Morando em Erval Seco, Gabrieli conta que sempre foi atrás de seus objetivos e para isso também conta com o incentivo dos pais, Elizelton e Carla Adriana, que desde quando ela era pequenininha aplaudiram os seus primeiros movimentos na dança.

– Comecei a dançar com três anos, e o incentivo dos meus pais sempre foi fundamental. Como sabiam do meu interesse pela arte, minha mãe entrou em contato com o professor de dança, Juliano Macyel, onde gentilmente começou a dar aulas de balé para meninas da minha idade. Por muitos anos, fiz aulas particulares; depois, comecei a participar das aulas do Cras de Erval Seco, com o mesmo professor. Um ano depois, iniciei aulas na Academia Life Fitness, com a professora e coreógrafa Ana Jaqueline Nunes. Com essas aulas, acabei recebendo o convite da professora para participar das aulas na sua escola de dança, Pettit Ballet, em Frederico Westphalen, onde participo até hoje – relata Gabrieli, que também divide o seu tempo com as aulas do curso Técnico em Informática no Instituto Federal Farroupilha, de FW.

 

Do clássico ao contemporâneo

No início, as aulas de Gabrieli eram de balé clássico, depois, com a professora Ana Jaqueline aprendeu o contemporâneo, e diz ter se identificado. “Foi algo que me identifiquei, é uma dança que exige muita interpretação, nos proporciona mais liberdade de expressar os movimentos e interpretar a coreografia. Depois que comecei a dançar essa nova modalidade, me apaixonei ainda mais pela dança. Recentemente, comecei a fazer aulas de balé clássico novamente, com a mesma professora. Sempre achei essa modalidade muito linda e é incrível a maneira como os movimentos são executados de forma perfeita. Um dos meus sonhos era começar a dançar com a sapatilha de ponta e esse ano consegui realizar, estou amando e percebendo cada vez mais o quanto eu gosto da dança”, conta a bailarina.  

 

Expressando sentimentos

A dança, para Gabrieli, foi uma das melhores coisas que aconteceu na sua vida e garante que é por meio dela que consegue ser o que ela quiser, expressar seus sentimentos e viver o momento. “Essa arte me proporciona momentos de felicidade, quando danço expresso tudo o que estou sentindo. Sou apaixonada pela arte, pela liberdade de me expressar em qualquer momento e em qualquer lugar”, diz Gabrieli, que também recebeu um convite muito especial, de ensinar a crianças os primeiros passos do balé.

– No ano passado, recebi o convite para dar aulas de balé na academia da minha cidade. Ensino o balé clássico para iniciantes, meninas entre quatro a sete anos. As aulas são supervisionadas pelo profissional de educação física, Douglas Cassio Stricker, e também recebo o auxílio da professora Ana Jaqueline, que me ajuda passando atividades e exercícios apropriados. As aulas são lúdicas e apropriadas para meninas com essa idade, que aprendem de forma divertida os primeiros passos do balé. Assim como eu amo dançar, também amo dar aulas. Poder ensinar tudo que aprendi e passar toda a minha paixão pela dança para meninas que pretendem seguir o mesmo caminho me deixa muito feliz – destaca.

 

Sonhos

Mesmo que apaixonada pela dança, Gabrieli também tem outros projetos para a sua vida, como seguir na área de Ciência da Computação e Educação Física, mas garante que jamais deixará o balé. “Meu sonho é me formar em Ciência da Computação e em Educação Física. Quando me formar, quero abrir um espaço para dar aulas de dança para pessoas de todas as idades. Quero continuar crescendo profissionalmente e aproveitando todas as oportunidades, além de seguir fazendo aulas de dança e me apresentando, que é o que eu mais gosto”, projeta a bailarina, que já foi premiada em duas oportunidades no Festival Atena, de FW.

Entre todos os projetos da bailarina também está a continuidade das aulas de piano, que iniciou recentemente, mas já conquistaram o seu coração. “Estou fazendo aulas de piano com o professor Cleiton Bagestão. Comecei recentemente, mas já estou participando de apresentações em eventos, junto com ele. Também postamos vídeos em nossas redes sociais como forma de divulgação. Pretendo seguir praticando o balé e o piano”, finaliza Gabrieli, deixando o seu Instagram para quem quiser acompanhar mais sobre o seu trabalho – @gabrielidoneda.

Texto: Suseli Cristo

 

COMENTÁRIOS

Os comentários no site não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas.
PUBLICIDADE
13 - Dedetização Daniel
PUBLICIDADE
13 - Zooclínica