PUBLICIDADE
9 - coronavírus

Geral

Além disso, escola de Seberi também recebeu ajuda do Fundo de Desenvolvimento Regional para a compra de equipamentos

Publicado em 29/10/2020.

Por:



11 - Novo Rural

A área educacional, além de ensinar, busca desenvolver a criatividade e a inovação nos alunos. Com este intuito, docentes do curso Técnico em Informática, integrado ao ensino médio, do Colégio Estadual Doutor Dorvalino Luciano de Souza, de Cerro Grande, idealizaram o projeto “Alimentador inteligente de piscicultura”, apoiado pelo Fundo de Desenvolvimento Regional, da Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG. Segundo o vice-diretor, Eleandro Moi, o curso técnico está ligado à sociedade, atendendo as necessidades da comunidade.

- Como a agricultura é o ponto forte da nossa economia, pensamos em oferecer tecnologia à piscicultura, uma atividade nova no município, buscando desenvolver o setor. Esta ideia surgiu depois de eu fazer um curso nesta área e descobrir que os alevinos precisam ser alimentados de sete a oito vezes por dia. Se o agricultor tem outros afazeres, às vezes, isso se torna inviável. Então, decidimos criar um equipamento que possa tratá-los, com a quantidade adequada de ração, de acordo com o peso vivo dos animais. Nossa ideia é fazê-lo ligado à energia solar, porque muitas vezes o produtor não dispõe de energia elétrica próximo do açude. Mas o equipamento poderá ser usado tanto com energia solar como elétrica – explica Moi.

Após concluir o processo de desenvolvimento do equipamento – que está em fase adiantada –, o objetivo é fazer parceria com um produtor do município que tem vários tanques. “Vamos instalar em um dos tanques e fazer uma comparação com os que são abastecidos manualmente. Em seguida, queremos patentear a ideia, procurar parcerias para que ele possa ser útil aos agricultores. Temos que ressaltar o engajamento e o esforço dos professores do curso técnico e dos estudantes que estão pesquisando e também aprendendo a fazer a programação do equipamento”, destaca o docente.   

O vice-diretor garante que sem a ajuda do Sicredi ficaria difícil desenvolver a inovação. “Como somos escola do Estado, não temos muitos recursos para estas finalidades. Então, ter o apoio da Cooperativa fui muito importante para construirmos o alimentador”, assegura Moi.

 

Educandário é contemplado com notebooks

A pandemia gerou muitas inseguranças na população. Uma delas no setor educacional, pois os professores não viam formas de chegar a todos os alunos e continuar os ensinamentos. Em função disso, a direção e professores da Escola Estadual de Ensino Fundamental Pedro Gemelli, de Seberi/RS, elaboraram o projeto “Revitalizando a biblioteca escolar”, que foi aprovado pelo Fundo de Desenvolvimento Regional. Com o recurso, foram adquiridos notebooks e impressora, usados pelos estudantes que não têm internet em casa e também pelos docentes para formações.

A diretora, Mara Ignez Muller Sperandio, conta que muitos estudantes não estavam assistindo as aulas na plataforma de aprendizagem e nem fazendo as atividades, por não terem acesso aos conteúdos. “Por isso, estamos disponibilizando os equipamentos aos alunos, incluindo os da Educação de Jovens e Adultos (EJA), com aulas à noite. Eles vêm até a escola, três por vez, recebem orientações e ainda se adaptam à cultura digital, já que vários não têm computadores ou celulares disponíveis”, disse a diretora, acrescentando que o Sicredi foi fundamental para a concretização do projeto.

- Agrademos ao Sicredi por pensar na comunidade onde está inserido, valorizando, investindo e ajudando nas necessidades. Além disso, já tivemos outros projetos beneficiados pela Cooperativa e somos muito gratos por este apoio constante – conclui Mara Ignez.

 

*Com informações da Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG

COMENTÁRIOS

Os comentários no site não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas.
PUBLICIDADE
13 - Dedetização Daniel
PUBLICIDADE
13 - Mega Turismo