PUBLICIDADE
9 - coronavírus

Marina Cerutti Lima

Estudar a astrologia surgiu, inicialmente, como um hobby para Marina, mas depois virou uma paixão

SET

Publicado em 06/01/2021.

Por:



11 - Girassol

Mapas astrais, trânsitos planetários, autoconhecimento. Com o passar dos tempos, acontecimentos e características individuais foram sendo relacionados com o movimento dos astros, tornando a astrologia uma ferramenta para se aprofundar nos conhecimentos sobre a vida pessoal e sobre o momento pelo qual cada indivíduo está passando. Entender a astrologia é essencial para quem deseja compreender melhor a si mesmo, e foi com esse propósito, da compreensão da nossa forma de ser, que a frederiquense Marina Cerutti Lima foi transitando por este meio, que de um hobby virou a sua paixão.

– Estudar a astrologia surgiu, inicialmente, como um hobby, por ela abranger vários assuntos que gosto, como a mitologia, a interpretação de símbolos, a compreensão da nossa forma de ser e a relação entre o individual e o coletivo. Conforme fui conhecendo mais, descobrindo toda a potencialidade da astrologia, fui me apaixonando, e surgiu a vontade de me aprofundar, com o intuito de transformar estes estudos em profissão. Trabalho fazendo mapas astrais e analisando os trânsitos planetários. Essas são ferramentas para o autoconhecimento, para compreendermos mais sobre nós e sobre o momento que estamos passando. Os simbolismos que são atribuídos à posição de cada planeta nos permitem conhecer mais de nós e a nossa real forma de ser – conta Marina.

 

Entre a psicologia e a astrologia

Marina Cerutti Lima tem 29 anos, é de Frederico Westphalen, filha do empresário Marcos Lima e da arquiteta Silvia Cerutti Lima, e tem uma irmã, a Laura. Desde 2009, mora em Porto Alegre, onde, além da astrologia, atua como psicóloga clínica, no seu próprio espaço, o Elan.

Graduada em Psicologia pela PUCRS (2016), especialista em Psicologia Junguiana, pelo Instituto Junguiano do RS, Marina já realizou diversos cursos de astrologia, sempre voltados ao autoconhecimento. “Consegui trabalhar com essas duas profissões que amo, que é a psicologia e a astrologia. Geralmente, as pessoas buscam a astrologia para compreender um período difícil e para entender mais de si, descobrindo suas potencialidades e compreendendo as dificuldades. É um trabalho muito rico e desafiador. Somos complexos e temos muito a descobrir sobre o nosso universo interno. Poder auxiliar o outro nesse processo é um trabalho que me realiza”, frisa a psicóloga e astróloga.

                                               

Reconexão

Hoje em dia, há uma busca crescente por conhecimentos e terapias que auxiliem a lidar e compreender o que acontece conosco. Para Marina, isso é algo bastante positivo, não só na esfera pessoal, mas também social. “A astrologia é um conhecimento bastante antigo e que vem sendo recuperado, trazendo a oportunidade de nos reconectarmos com esses simbolismos e vermos a relação entre o que está dentro e o que está fora. Nesse contato crescente com a astrologia, acredito que seja importante ressaltar a importância de ver a astrologia além de uma relação de causa e efeito. Olhar a posição dos planetas nos auxilia a compreender o que ainda não vimos, por meio dos simbolismos atribuídos a eles ao longo dos anos, funcionando como um ‘espelho’. Recolhemos o que foi projetado lá. Não somos da forma que somos por causa da posição dos planetas. Essas são questões sincrônicas, que nos permitem fazer uma leitura e aprender sobre nós”, destaca.

 

Mudanças

O ano de 2021, será de novos projetos para Marina, e tudo vem sendo pensado com muito carinho. “Meu próximo projeto a ser colocado em prática é passar a trabalhar com grupos, na psicologia, voltados para adolescentes, orientação vocacional e com ferramentas da arterapia. Precisamos nos inspirar e continuar evoluindo e crescendo com aquilo que nos faz bem”, diz Marina, que deixa um conselho aos leitores do AU para o próximo ano.

– Estamos em um período marcado por trânsitos planetários que nos convidam a olhar para dentro, nos recolhermos, e que colocam à prova o que realmente está bem estruturado. O 2020 foi um ano marcado por dificuldades e de conjunções planetárias muito fortes na astrologia, que não acontecia há muitos anos. Estamos nos finais desses ciclos e acredito que seja bastante importante olhar para o que passou e para os aprendizados que tivemos. Crises, por mais que sejam difíceis, são oportunidades de mudança, mas para que isso ocorra é preciso tomar consciência, avaliar o individual para que possa transformar o coletivo. É um momento de repensar e ver o que precisa ser enxergado. Lembrando que as mudanças mais importantes são as que nos levam a nos tornarmos nós mesmos. Acredito que só nos sentimos realizados quando seguimos o nosso próprio caminho, conhecendo e respeitando quem somos – finaliza a psicóloga e astróloga.

Texto: Suseli Cristo

COMENTÁRIOS

Os comentários no site não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas.